segunda-feira, 29 de agosto de 2011

É possivel haver amor sem compromisso?

Hoje falarei de um tema que já a um bom tempo tem me chamado à atenção, e que estes dias depois de ler uma matéria de capa da revista Isto é, que falava sobre o novo fenômeno das religiões como estão crescendo ou diminuindo e também como as pessoas tem se relacionado com as religiões em si.
Ali pude perceber algo que já suspeitava que hoje em dia dizer que se é evangélico não quer dizer muita coisa mais como outrora já foi no passado, pois anos atrás sabia-se quem era evangélico apenas por sua forma de se portar totalmente contra  o pecado, radical com uma série de coisas da vida diária.
Tempo em que não tinha meias verdades, em que ou era certo ou errado, como sabemos hoje em dia sim ou não, não são mais as únicas respostas possíveis, vivemos tempos de muitos talvez, quem sabe, não é bem assim, e outros do gênero.
Lembro-me que ao ler a tal matéria em que constavam algumas entrevistas com pessoas que ou acreditavam em um Deus quebra galho do tipo procuro quando sentir necessidade, ou só o procuro se eu precisar dele, como se fosse ele quem necessitasse de nós e não o contrario, só temos chances de salvação por causa do amor dele por nós, ainda que muitos não consigam reconhecer isso.
Mas isso nem foi o que me deixou mais alarmado, pois, pessoas que não crêem em Deus, que levem isso de qualquer jeito, ou ainda acredite que tudo é Deus sempre foi coisa fácil, de se achar.

Novos Tempos?

Agora o que não existia e o estudo divulgado na revista que citei mostra é que esta crescendo cada vez mais as pessoas que se dizem evangélicas, mas não pertencem a igreja nenhuma, ou seja, vou onde me  der na telha, mas como assim? Fiquei me perguntando.
Como pode haver comunhão entre irmãos se nem ao menos há uma reunião de irmãos, como posso dizer que faço parte do corpo de Cristo se não estou disposto a ter de conviver com aqueles que tenham uma visão de reino talvez um pouco diferente da minha.
Será isso mais um modismo dessa sociedade que se diz moderna e futurista, mas no que tangue a qualidade de vida, vida familiar só tem andado para trás. Sabe o que penso? Penso que quando eles imaginam que deram um passo para frente na verdade deram vários para trás.
Queria entender que tipo de amor é este que aprenderam, e que declaram ter, pois como bem sabemos Deus é amor, não consigo achar um adjetivo melhor para definir Deus do que amor, agora como amarei meu irmão se nem sei quem é aquele que senta ao meu lado no culto, pois cada dia vou em um lugar.
Esse tipo de atitude vou onde quero ninguém tem nada com isso me faz imaginar que cada vez mais vivemos em um sociedade individualista, onde é cada um por si mesmo e o outro que se vire.
Na vida cotidiana isso não me incomoda tanto, porque desde que eu era criança sempre soube que era assim, e o lado cruel destas coisas é que de tanto ouvirmos é assim mesmo, nos acostumamos com isso e vamos levando fazendo de conta que ta tudo certo, quando na verdade deveria ser ao contrario.
Se no mundo isso já é terrível imagina isso dentro da igreja, quão devastador será o efeito disso daqui a alguns anos.
Digo isso com o seguinte pensamento, muitas pessoas só encontram apoio, abrigo carinho, dentro da igreja, se este mal se disseminar de vez onde elas encontrarão apoio.
Como poderemos dizer que somos cristãos se não demonstramos amor pela obra de Deus.

Compromisso ainda é importante?

Isso pra mim tem um nome e se chama falta de compromisso, quem trabalha com pessoas sabe o quanto cada dia é mais difícil, de se encontrar pessoas comprometidas, dispostas a investir tempo em algo de útil.
Se for pra assistir TV, o ultimo capitulo da novela pode ter certeza que se precisássemos de um companheiro logo teríamos vários, mas pra falar do amor de Deus, estudar a bíblia ai a coisa complica e complica muito, é preciso suar a camisa para encontrar pessoas dispostas a partilhar responsabilidades, não digo que não existam, pois sempre existem aqueles que como dizia o slogan de um governo “sou brasileiro, não desisto nunca”, mas poderiam ser bem mais pessoas dispostas.
Mas o principal motivo de escrever este texto é seguinte, como podemos lutar contra isso? Até quando vamos ficar fingindo que isso só existe lá na cidade do outro?
Até quando taparemos os olhos para não enxergar o inimigo mais uma vez cumprindo seu papel direitinho como diz MT 10:10ª, é preciso estarmos alerta, de prontidão e principalmente em espírito de oração, porque desta vez ao que parece o inimigo arrumou uma estratégia das melhores para afastar as pessoas da igreja e do convívio, quer saber o resultado disso?Simples.
Imagine a cena de leões caçando, com certeza já viu isso na TV algum dia, observe que eles selecionam a vitima e vão tirando ela do meio do rebanho sem que ela perceba, fazem isso porque sabem que no meio do rebanho nunca conseguirão pega-la pois ela será protegida pelos outros, agora se estiver sozinha é presa fácil.
E é exatamente isso o que o inimigo tem feito no meio da igreja de Cristo e tem muita de descuidando e abandonando o rebanho.
Como você está? No meio do rebanho ou o inimigo já esta conseguindo te tirar para fora dele?
Para não ficar muito longo vou parar por aqui, mas prometo voltar a abordar este tema novamente.
Enquanto isso vá meditando ai pode haver amor sem compromisso?
Fiquem na PAZ DO SENHOR.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...